26 de maio de 2016

Fotos recentes

Compartilhando com vocês essa árvore linda que achei aqui em Aparecida do Taboado, e essa minha pose à la Arctic Monkeys:
"Parou e estufou o peito
Como se nunca tivesse perdido uma guerra"
Poucas coisas me fazem me sentir tão bem e confortável quanto uma xícara de café e estar na minha própria casa.
Me falaram que as vezes eu faço uma cara de mal.
Pulseira linda que comprei no Magazine Biju aqui de Aparecida do Taboado por R$4,99! Maravilha.

Amiguinha da facul e eu aos olhos do fotografo da aems.
Carteira mara que comprei da Aliexpress. Apaixonada! Paguei apenas US$5,30 e chegou em 37 dias. Confesso que estou aflita de sair com ela e perder (porque quando eu não quebro alguma coisa, eu sumo com ela, e perder carteira é prejuízo). Link do produto aqui.
Fotos... Fotos... Fotos...
Há um tempo estava me acostumando a parar de fotografar tudo que acontece na minha vida, de fazer poses, caras e bocas. Mas depois de certos acontecimentos, entrei em uma disputa por atenção na qual não faz sentido eu estar dentro. Depois de um tempão desacostumada, para se acostumar é como escorregar no escorregador: fácil, fácil... 

Foto não é apenas se auto-promover, mas guardar lembranças, apesar de que tem uma frase que eu uso muito como desculpa para jogar coisas foras: "As melhores lembranças estão na nossa mente, não em coisas". Só que, confesso, as vezes ainda guardo alguma florzinha, ou pulseira, ou cartinhas e até mesmo fotos. Lembranças são todas aquelas coisas que você carrega na mente, no coração e na bolsa.

Beijinhos!

3 de maio de 2016

Regresso

Filme: Lolita
Coração acelerado. Qual é o seu limite? Eu só poderia saber tentando alcança-lo, mas permita-me dizer: a sensação não é muito boa. Atingir meu limite me tirou o chão, dizer em voz alta tudo que eu estava sentindo e pensando fez isso se tornar real. Acredita nisso? Eu quis te machucar, mas não consigo aceitar que realmente tive coragem de fazer isso. 

Quanto tempo mesmo levou pra eu me tornar uma boa pessoa? Aquela que poderia ser a princesa do conto de fadas, e não a rainha má. O quão difícil foi deixar de ser aquela que destruía o próprio coração, as chances que tinha de ter um amigo de verdade, de deixar as pessoas se aproximarem e ficarem para terem alguma chance de entrar na minha vida? Uau, se for contar, demorou muito, contudo, o resultado foi curto. Olha só pra mim agora.

Vontade de pegar o telefone e te ligar chorando, dizendo me perdoa por tudo que eu te disse, que eu sou super egoísta, rancorosa, cruel. Mas será mesmo que eu quero dizer isso? Risos. Isso me lembra aquele vídeo que eu assisti no facebook, algo sobre "personagem de cada signo", a de escorpião havia dito "eu senti minha dor, agora você vai sentir a sua". Eu tenho duas teorias para meu comportamento: 1 - eu sou super influenciável, ou 2 - eu realmente sou vingativa.

Acredite se quiser... Eu não quero voltar a ser assim. Seria você a melhor pessoa para me ajudar a evitar essa parte de mim? Você poderia me ajudar? "Pega a minha mão, não me abandona não". Mas eu não conseguiria olhar para o seu rosto sem desabar na sua frente. Se fazer de fria é tão difícil, mas demonstrar o que realmente está sentindo, isso parece tão errado. 

Mantenha seu coração leve, sua mente limpa, sua vida organizada. Sempre haverá aquela pessoa que será sua fortaleza, mas também, sua maior fraqueza. Precisaria eu de alguns dias à sós? Só eu e eu, tentando filtrar as lembranças que tenho de você e apagar as ruins. Eu não quero te lembrar assim, quero te lembrar como a pessoa que me fez me importar, me entregar mais, que me ouviu, que não me abandonou. Me ajuda a te lembrar assim, só assim?

1 de maio de 2016

Não é do meu feitio

Créditos
Olho para os meus pés, estou usando meias brancas, sujas e largas hoje, então eu escondo-os debaixo da coberta e ajeito o notebook no meu colo. O que eu já fiz para evitar te procurar hoje? Muita coisa. Mas não porque eu realmente precisava de algo para evitar que eu fizesse isso... Há muito tempo estou acostumada a abrir o facebook e não ver nenhuma mensagem sua, eu sabia que isso ia acontecer, por isso fica mais fácil. Você me ajudou a superar esses dias sem você.

Então resolvo ir para fora, tomar um sol, ler um livro. Meus olhos seguem as palavras, vivo o presente pensando no passado, ansiando pelo futuro. Te deixei ir, você foi. Quem imaginaria que você estaria do jeito que está? Será que dá pra saber até quando ficará longe? De vez em quando eu preciso me mostrar os motivos para ter certeza que você voltará, e aí eu choro. Choro um pouquinho toda vez que ouço esses motivos. Choro um pouquinho várias vezes por dia.

Mas ainda tento me manter ocupada, quando funciona, isso me faz feliz. Ao mesmo tempo que a sua falta é sentida, eu sinto a minha presença. Desgastante era implorar por minutos de conversa sobre o seu dia, ou evitar de manter uma conversa por achar que não há interesse da sua parte. Ao invés, eu monto uma lista na minha mente de coisas que eu quero te contar sobre o meu dia. 

Risos. Lembra quando você achou super estranho eu dizer que não gosto de quando me pergunta sobre meu dia? De tanto contar, eu me acostumei, mas você não está aqui para ouvir. Será que agora você entende porque eu não gostava? Montei essas listas imaginárias todos os dias na última semanas, mas eu não te contei nada. No final das contas, acredito que essas perguntas sobre o dia servem para marcar momentos, e as listas imaginarias pra preencher o vazio que essa coisa do destino colocou em mim.

O quão injusto e egoísta seria se eu te obrigasse a ser só meu? Depois de alguns anos observando a vida como ela é, percebi que quando homem gosta, não há o que não pode ser feito. Amor não se pede, não se implora, mas se conquista. Ela pode não desistir de você, assim como você não desistiu de mim, mas triângulos amorosos não são do meu feitio. Eu já fui uma caçadora de problemas, hoje eu fujo deles. 

As vezes o meu descaso para tudo sobre relacionamentos me surpreende. Há algum tempo atrás eu faria uma lista de motivos para evitar você de volta, ou motivos para querer você de volta. Hoje eu já não me importo mais... se quiser ficar, fica, se não quiser, eu te mostro o caminho da saída.

30 de abril de 2016

Deveria

"Mas você vai conseguir, Lê?", repeti pra mim mesma a pergunta que minha amiga acabou de fazer. Sim, eu consigo, eu me treinei porque sabia que um dia estaria na faculdade, com assuntos importantes em mente e que essas coisas do coração não poderiam me deixar pra baixo em uma situação dessas. Então, sim, eu estou pronta pra ignorar mais uma decepção da minha vida.

Infelizmente não posso dizer que foi um treinamento bem-sucedido, mas ninguém precisa saber disso. Vamos continuar aceitando o fato de que eu sempre me dou melhor sozinha, de que eu nunca precisei de ninguém. Como aquela música que eu adoro diz: mas agora que você foi embora, fique longe (Charli XCX - Stay Away).

Se tem uma coisa que eu não gosto, é de estar na cabeça de alguém, interferindo em suas decisões, porém, acreditaria se eu dissesse que eu faço muito isso sem ter a intenção? Deve ser por isso que meus amigos na faculdade acreditam que eu tenho uma coleção de "escravocetas" espalhados por aí. Eu não sei, deve ser o meu cabelo cacheado, ou o meu jeito de falar, mas eu juro que não tenho a intenção.

E qual é a sua intenção? Qual é o tamanho da sua humilhação? Até onde vai o seu amor? Até quando você pode evitar a tomada de decisões que definirão o caminho da sua vida? Mas nada é pra sempre. Será que ela seria? Será que você se arrependeria? Esse não está sendo um segundo ano satisfatório, tem muita coisa que você deveria saber, e não sabe, muita coisa sendo deixada pra trás. O que fica pra trás, não é um bom motivo para voltar. Seria pra você?

Enquanto isso, vou procurando aprender coisas novas, crescer mentalmente, assistir seriados e colorir os desenhos do meu livro de colorir. Só não viva sua vida achando que você não faz diferença na minha, como eu deixei transparecer. As vezes eu me faço de tão fria que acabo acreditando nisso, mas você não deveria.

22 de abril de 2016

Outrossim

Coloridas acompanhando o balanço do vento, subindo e descendo sem ser precisamente nessa ordem. Pele. Nós gostamos de ações improváveis, brincadeiras inesperadas, reações sinceras. Gosto quando ele faz assim: e demonstrou pra ter certeza de que ela entenderia. Risos. Batidinha nas costas evitando o engasgo com as propárias palavras, gostaria que fosse pra sempre, mas ser boa desse jeito é desgastante.

Ele certamente não tem conhecimento de como tem estado o chão dela desde o começo do ano. Altos e baixos, na maioria das vezes, abaixo de zero, sobrevivendo ao inverno, retirando a lama debaixo das unhas do pé e o cabelo do rosto coberto por suor. "Ela é mil vezes mais bonita do que eu", repetia pra si mesma enquanto se afundava em um colchão de insegurança, adiando seu futuro para o dia em que a segurança não seja apenas algo feito de látex.

O que mudou desde então? A equabilidade é visível se olhar com atenção. Porventura, um pouco mais sábia, estudiosa e medrosa. As risadinhas da antiga cisma confirmam: ninguém muda de uma hora pra outra. Não ao apreciamento externo, sim ao ocorrer-se que muito tempo se passou desde então. Não estivemos juntos o tempo todo, pois não me segure pela nuca enquanto não te deixar encostar a minha mão.

Rolando os olhos. Dããã. Precisa confessar que me odeia tanto ao ponto de não conseguir se afastar de mim. Meu melhor amigo é também o pior inimigo. Sua vontade insaciável dava-me água na boca. Confiar em mim é tão fácil assim? Por que não confio em você desse jeito também? - Homens. - Concordamos ambas.

Enxaguando o punho, ardia a ferida, eu senti a sua dor. Eu amei te ver assim. Desperto o melhor e o pior em você. Não só em você. Até onde isso pode chegar? O gosto pelo futuro incerto tão próximo me faz alucinar sua presença próxima a minha. A respiração ofegante se perdendo na sua até tornar-se uma só... Poder achar-se em uma situação, erroneamente fazendo-se acreditar que não irá se repetir. Outrossim, bem assim, sou você inteiro em mim.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...