18 de novembro de 2016

O blog está às moscas

Gente do céu, sério, há dias venho pensando em algo pra escrever aqui, mas estou totalmente sem inspiração. Nada me vem a cabeça. Quando vem, eu não sei escrever. Desaprendi! Daí eu faço aqueles rituais pra tentar encontrar inspiração, como meio copo americano com café, deitada no sofá, sozinha em casa, com o notebook no colo, mas quando me dou conta tô no facebook ou assistindo mais um episódio da nova temporada de Scorpion de novo. 

Não queria que o blog ficasse tanto tempo desatualizado, mas infelizmente não estou sendo capaz de conseguir contéudo de qualidade, por isso essa publicação. Vamos dar um break, sim? Não um kit kat break. Não que um kit kat break seja ruim, pelo contrário. Mas um break. A gente se vê daqui a algum tempo. Beijo!

9 de novembro de 2016

Relatos de uma universitária intermunicipal

Ontem eu fui conversar com a psicologa da faculdade e ela me recomendou uma terapia clinica. Não fiquei surpresa. Fiquei aliviada que alguém tenha me dito o que eu queria ouvir. Afinal de contas, isso me fez perceber que eu não estou errada, o que é errado é eu tentar passar por cima de todo problema que acontece na minha vida, ignorar, superar... mas no final a gente percebe que na verdade eu estava guardando tudo aquilo dentro do peito, camada sobre camada, até se tornar uma grande e antiga rocha, com risco de desabar de uma montanha alta.

Há dois anos atrás uma série de acontecimentos fez com que 2014 fosse o pior ano da minha vida, e eu devo tudo isso a uma única pessoa. Infortunamente, hoje sou obrigada a conviver sob o mesmo transporte com essa pessoa. Como diz aquela música "agora eu pago os meus pecados por ter acreditado que só se vive uma vez". A gente não vive só uma vez. A mesma desgraça pode acontecer repetidas vezes, em situações diferentes.

Eu ainda me lembro como era, não é tão díficil quando se tem o gostinho estragado do medo e da insegurança na língua, o sentimento de que nada vai dar certo, de que o melhor a se fazer é silenciar-se e fazer-se de invisível. Como se eu já não estivesse fazendo isso, certo? Errado. Há muito tempo evito fazer amizades, aproximar-me fielmente de alguém. Quem sou eu na fila do pão? Ninguém, até porque eu não estou na fila do pão, estou em casa, estudando, dormindo ou fazendo comida, evitando contato com pessoas de fora, evitando problemas. A gente sabe que isso nunca da certo.

Então passo uma madrugada chorando, em meio a soluços pergunto o que há de errado comigo para minha mãe, dizendo que eu mereço tudo de ruim que acontece comigo, que eu deveria fechar a boca e só aceitar, porque eu sou a ruindade materializada em ser humano. Tudo isso consequencia de 3 horas de viagem que eu faço todos os dias há um ano. O problema das pessoas ruins é que elas não aceitam quando suas vítimas vem tirar satisfação. Quem é que ja fez isso antes? Tudo que sabem fazer é negar. São inocentes. Sinto que preciso alimenta-los e protegê-los, pois não sabem o que fazem, são como bebês na creche, querendo brincar num brinquedo que já está ocupado, mas estão impacientes para esperar por mais tempo.

Preocupa-me somente a mim mesma. Tenho força e fraqueza, geralmente mais fraqueza do que força, pois causa em mim tremedeiras, formigamento nas mãos e pés, nó na garganta, isso quando a pressão não cai, que aí eu sinto como se fosse desmaiar. Em meio a alegrias, as maiores modas são de tragédia na minha vida, e eu sinto que num mundo desses, a única coisa que me resta é ser diferente e acreditar no ser humano, tentar ver por outros lados e entender que as vezes a pessoa não é cruel porque quer, mas sim porque é a única coisa que ela pode ser.

27 de outubro de 2016

Dicas para o cerebro funcionar melhor


Depois de anos de experiência, luta e tudo mais, posso dizer hoje que não, ainda não cheguei aonde queria estar, mas que estou no caminho. Paciência, né? Uma coisa que aprendi nesse meio tempo é que ter dificuldade em algo não é desculpa para evitar... é claro que quanto antes pegarmos algo para aprender, melhor, devido a quantidade de neurônios que temos (quanto mais envelhecemos, menos neurônios nós temos, e neurônios são os responsáveis pela memória armazenada, capiche?). 

Existem várias maneiras de fazer com que o cerebro funcione melhor e que ele permaneça jovem, pronto para uma nova recarga de conhecimento expontâneo e ajudando principalmente na memória. 

Uma das maneiras está na nossa alimentação, óbvvvvio. A proposito, vocês sabiam que a canela é um estimulante cerebral? Cientistas fizeram o teste em camundongos e eu fiz em mim mesma, talvez seja psicologico, mas sempre que bebo água com pó de canela alguns minutos antes de começar a estudar, o meu rendimento melhora bastante. Além da canela, outro estimulante cerebral natural encontrado em alimentos que eu sou adepta é ômega 3, encontrada principalmente em peixes. É ótimo para preservar nossos neurônios. Se você é vegetariano ou então não gosta de peixe, você pode comer linhaça, nozes, chia, etc, que também possuem Ômega 3.

Fora a alimentação, tem algumas dicas que podem ser consideradas como passatempos, mas um passatempo a nosso favor, não um passatempo daqueles que matatempo. Sou superadepta a caça-palavras, até porque em uma lojinha de 1,99 da minha cidade, tem aquelas revistas feitas com papel jornal que custam R$0,99 cheia de caça-palavras, ou palavras cruzadas. Esses exercicios estimulam o cerebro, quanto mais você exercita o cerebro, mas forte ele fica. É como ir a academia, mas uma academia intelectual.

Substituir a calculadora por calculos mentais quando estiver no mercado, estar sempre lendo um livro após o outro, senão dois ao mesmo tempo (tentar lembrar do enredo de uma história enquanto esta lendo outra força o cerebro a trabalhar mais) e estar sempre procurando exercícios para o raciocínio lógico. Boole não teve um todo trabalho ao estudar a lógica pra gente chegar nos dias de hoje e ter preguiça de pensar de uma maneira mais refinada ao se deparar em uma situação em que os calculos matemáticos não sejam suficientes... por favor, né?

Se você está com dificuldades na escola, na faculdade, pagando mico e perdendo amizades pela falta de memória, sugiro que deixe um pouco de lado esse celular, a facilidade que os tempos modernos nos proporcionam e ir atrás de alguns desafios, algumas complicações. Mas não se prenda apenas ao que citei aqui nessa postagem, eu escrevi baseado nas minhas rotinas... existem mil outros alimentos e exercícios cerebrais por aí, é só procurar.

12 de outubro de 2016

Fashion Mia review com fotos e vídeo

Oi, gente!

Eu amo roupas, amo como podemos esbanjar nossa personalidade simplesmente nas roupas que vestimos, e eu adoro estar sempre inovando, mudando o meu estilo, experimentando tendências novas, arriscando, por isso estou sempre em mudança constante... vai que eu gosto, não é?

E o melhor lugar para encontrar diversidade em peças de roupas é na loja virtual Fashion Mia, isso porque tem roupa pra todo gosto, estilo e idade, e os preços são bacanérrimos! Vantagem dupla, pois se não morrermos de amor tanto pela peça comprada, o desperdício não é grande. O que não foi o meu caso, certo?

Recebi aqui em casa depois de cerca de dois meses de espera as peças que havia escolhido na loja virtual, elas vieram em sacos super resistentes, embaladíssimas. Eu a-m-e-i cada peça que recebi e usei com toda a coragem que eu tenho. Digo pra vocês: não me arrependi. Cada vez que usei cada uma dessas peças eu me senti super a vontade e linda, além de receber chuvas de elogios e olhares.


Essa é a "Bohemian Patchwork Seethrough Loose Fitting Tassel Vintage Tunic", custou-me apenas US$5,95 na época. Essa peça transforma qualquer look básico e sem graça em um look super copiável. Trabalhada na transparência e franjas, ainda possui detalhes bordados nas extremidades. É uma dessas peças que considero cheia de informação e ao mesmo tempo, misteriosa.

Provavelmente essa é a minha preferida. A peça "Printed Chic Round Neck Maxi-Dress" custou-me US$13,95. É algo que definitivamente faz com que eu me sinta africana. Chique, não? Foi exatamente por isso que eu prendi o cabelo num coque alto, meu cabelo já chama a atenção demais, pra não ficar super sobrecarregado, prendi e achei que ficou ótimo! Esse vestido foi paixão a primeira vista, e assim que o vesti, não poderia descrever tamanha obsessão. 

E por último, porém não menos importante, esse vestido divino! Gente, o vestido não é assim, na verdade... eu tive que personalizar porque seu recorte original não dava pra usar, sério! Ele tem um super decote que definitivamente não é pra mim, então eu o vesti ao contrário, coloquei a frente pra trás e a trás para frente. Achei dessa maneira mil vezes mais elegante, aproveitei pra ir almoçar com a família nesse último domingo em um restaurante na saída de Santa Fé do Sul pra Aparecida do Taboado. Ele custou US$15,95, mas infelizmente está fora de estoque no momento, então não tem link #tobad. Seu nome é "Geometric High Slit Printed Tribal Cut-out Captivating Spaghetti Strap Maxi-dress".

Eu ainda gravei um vídeo, pra quem quiser ver, fique a vontade e me diga o que achou, beleza?


Então, agora sim. Espero que tenham gostado dessa dica de loja, viu? 
Um grande beijo, até a próxima <3

11 de outubro de 2016

Como se divertir na piscina sem se molhar


Oi gente, tudo bem com vocês? Parem tudo que estão fazendo que o papo agora é super interessante. Quem é que não curte alguns apetrechos super divertidos quando vai passar um tempo na piscina? As opções são diversas, existem várias coisas no mercado pra quem curte se divertir debaixo do sol, aproveitar um super dia quente sobre a água, as vezes se molhando ou então as vezes não.

Eu não sei se vocês sabem, mas eu não sei nadar, sempre quis aproveitar a piscina pra ficar boiando nela. É tão relaxante, vocês não concordam? Então se você é assim como eu e se identificou com a minha pessoa, te garanto que essa publicação vai te fazer mais feliz, pois falaremos sobre coisinhas que nos proporcionam diversões provavelmente maiores do que nadar e até com muito mais segurança.

Bom, quem foi que já esteve em algum lugar e não viu essas bolas gigantes, que a gente entra e fica boiando em cima da água, dentro da bola? São conhecidas como water game inflatable zone. Não é difícil de encontrar em shoppings, eventos na cidade, entre outros… Esses infláveis estão cada vez mais presentes no nosso cotidiano, antes eram as simples boias para as pessoas não se afogarem, então vieram as camas infláveis, patos, golfinhos, e agora as bolas e esses rolos gigantes infláveis. Dá pra acreditar?

As bolas gigantes infláveis que falei são mais fáceis de encontrar… eu mesma que saio de casa de vez em quando NUNCA já vi umas duas ou três vezes em cidades vizinhas a minha. São bolas geralmente transparentes, mas algumas são coloridas, você entra nela e a bola é fechada com um zíper, então cabe a você se movimentar o mais rápido que conseguir para rolar e rolar e sair do lugar. As crianças que parecem possuir uma fonte inesgotável de energia amam, e aqueles que estão querendo perder peso, inclusive.

















Já o rolo gigante inflável é meio engraçado, procurei vídeos na internet porque eu sinceramente não conhecia. Gente, só de ver o vídeo já dei várias risadas e desejei atravessar a tela do computador para poder brincar também. Que delícia! O nome faz jus ao produto: é um rolo. Sim, rolo de papel higiênico, pense no rolo que imaginar, mas gigante, inflável e colorido. Agora você está dentro do rolo gigante, correndo feito um hamster em sua gaiola. A risada é certa, e haja folego para tal brincadeira. Eu super amei e é certo de que esse é um produto que adoraria ter em casa (caso eu tivesse uma piscina).

Então, pessoal, digam-me o que vocês acharam, a opinião de vocês é muito importante. Vocês curtem esses infláveis? Desejam ter?

Um beijo, até a próxima!

Outdoor Water Games - www.inflatable-zone.com